Qual a importância de um teste de segurança elétrica em hospitais?

Tempo de leitura: 2 minutos

O Teste de Segurança Elétrica de equipamentos médicos, é um dos mais importantes testes a serem efetuados após as manutenções e calibrações dos equipamentos, pois é ele quem garante que um equipamento eletro-médico não esteja fornecendo ou conduzindo correntes possivelmente danosas ao paciente e ao operador do equipamento. 

Como estes dispositivos são alimentados por eletricidade ou por uma fonte de energia (baterias), há um risco para o paciente, na eventualidade de haver um vazamento de corrente elétrica. Também, podem haver situações de algum profissional transmitir essa corrente elétrica ao paciente, no momento de operação do equipamento eletromédico.

As disfunções ocasionadas pelo choque elétrico são desde uma sensação de zunido até queimaduras graves e eletrocussão, podendo gerar até a morte. Alguns procedimentos cardíacos, por exemplo, podem trazer riscos de fibrilação cardíaca, mesmo que por correntes baixas (20 microamperes), pois componentes como o sangue e os músculos, possuem baixa resistência elétrica.

Assim é possível ver a importância de estar em alerta com a segurança elétrica dos equipamentos e a necessidade de realizar Testes de Segurança Elétrica (TSE), garantindo a qualidade desses dispositivos médicos.

 

As complicações devidas aos avanços tecnológicos

Ambos, Engenheiros Clínicos e Enfermeiros, devem compreender as complicações causadas, ou no mínimo fortemente influenciadas, pelos avanços tecnológicos relativos a equipamentos médicos. As seguintes complicações podem ser imediatamente reconhecidas e compreendidas para que medidas de prevenção possam ser tomadas: complicações iatrogênicas, responsabilidade legal, ansiedade, “burn-out” e desumanização.

Há alguns anos atrás, as complicações resultantes dos avanços da tecnologia médica foram descritas. Entretanto, a maioria dos equipamentos médicos são encontrados nas áreas de cuidados intensivos. Nesse sentido, o interesse pela identificação e estudo de complicações iatrogênicas (é um termo que se refere aos danos causados por médicos tem aumentado), bem como o interesse em analisar as complicações relacionadas a equipamentos médicos. O resultado dos estudos mostrou que o erro humano faz parte significante destes. Em uma análise de 145 incidentes ocorridos durante um período de 5 anos (1974 – 1978), em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) médico-cirúrgica, foi mostrado que:

  • 30% das complicações foram devidas ao mau uso dos equipamentos médicos; 

  • 34% das complicações foram devidas a erros de comunicação (49); 

  • De 96 incidentes relacionados a equipamentos médicos, 48% lesaram o

Paciente;

Considerações Finais 

Na maioria das Unidades de Saúde, o armazenamento de dados dos TSE são computadorizados, ponto facilitador para a rastreabilidade e facilidade de consulta, além de revisões e análise dos dados obtidos.

É de extrema importância obter segurança e qualidade nos serviços das Instituições de Saúde e por isso é fundamental a realização dos testes de segurança elétrica na gestão e manutenção dos equipamentos médicos.

Ficou alguma dúvida?

Deixe nos comentários 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *