O cenário do mercado das Health Techs no Brasil

Tempo de leitura: 3 minutos

Não é atoa que o cenário da tecnologia cresceu no Brasil e no mundo nos últimos 2 anos. A pandemia e o avanço das pesquisas acerca das doenças e tratamentos intensificou esse avanço.

E é por isso, que as Health Techs têm ganhado cada vez mais relevância no mercado.

O que são as Health Techs? 

 

Health Tech (Tecnologia da Saúde) envolve a aplicação de uma combinação de  conhecimentos médicos e de engenharia  para resolver problemas relacionados à saúde. A Health Tech inclui desde medicamentos, vacinas, dispositivos e procedimentos médicos até a melhoria geral dos sistemas médicos.

 

Para esta categoria de empresas, as startups que possuem avaliação de preço de mercado no valor de mais de 1 bilhão de dólares são chamadas de “unicórnio”. Até o presente momento, o número de unicórnios no mercado de saúde já se aproxima de 40.

 

O que você encontrará nesse artigo

Como está o mercado no Brasil e no mundo?

 

O mercado de Health Techs é um dos que mais crescem do ecossistema de inovação: segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), os gastos no setor da saúde já representam 10% do Produto Interno Bruto do mundo e, no Brasil, suas despesas representam 9,2% da soma de todos os bens e serviços produzidos, ou R$ 608 bilhões em 2017, de acordo com a Agência IBGE de Notícias.

 

Durante a pandemia, esse segmento teve um salto de 118% no número de Health Techs no Brasil na comparação de 2020 e 2018, passando de 248 para 542 empresas do setor, conforme o relatório “Distrito Health Tech Report 2020”. Essas empresas tornaram-se protagonistas na luta contra a Covid-19, por meio de soluções inovadoras de assistência à distância, realização de exames, compra de medicamentos online e até exercícios a distância.

 

O número de empresas passou de 542 em 2020 para 1.158 em 2021, e a arrecadação por investimento aumentou significativamente no período, de 1,6 milhão de dólares em 2020 para 8,3 mil milhões em 2021, uma alta de 423%. “As rodadas de investimento cada vez maiores mostram que em  breve  teremos algum unicórnio brasileiro neste segmento”, diz João Ventura, CEO da Sling Hub. 

 

Segundo o mesmo relatório citado acima (Distrito Health Tech Report 2020), as categorias com maior número de Health Tech no Brasil são:

 

  •  Gestão e PEP (Prontuário Eletrônico do Paciente);

  •  Acesso à informação;

  •  Marketplace;

  • Farmacêutica e diagnóstico;

  •  Telemedicina;

  • Relacionamento com o paciente;

  •  AI e Big Data;

  • Wearables (dispositivo tecnológico que pode ser usado como acessório ou que podemos vestir)

Um dos propulsores desse crescimento no Brasil é o atendimento a distância, pelo nosso país ter uma extensão territorial grande, isso sempre foi um grande problema, pois as áreas onde possuem serviços de saúde e atendimentos médicos são muito raras e longe da realidade de muitas pessoas

Um dos fatores que vai facilitar ainda mais essa questão é a chegada do 5G no Brasil, que vai quebrar barreiras territoriais de conexões entre as pessoas permitindo a interconexão entre mais dispositivos em simultâneo e possibilitará a evolução da chamada Internet das Coisas (IoT).

Conclusão

O cenário mundial da Health Tech tende a continuar evoluindo, criando uma plataforma cada vez mais eficiente e acessível para acessar produtos e serviços relacionados à saúde.

Por todos estes fatores, especialistas acreditam que, além do recorde de captação que ocorreu em 2021, essa expansão deve continuar, ainda que outras áreas econômicas do país estejam andando a passos lentos.

 Esse artigo é uma produção em parceria com a Arkmeds e CM Tecnologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *